Imagem capa - Serviço de nuvem da Canon perde fotos de clientes - ou, quantos backups você tem?  por gilson lorenti

Serviço de nuvem da Canon perde fotos de clientes - ou, quantos backups você tem?

No começo de agosto uma notícia muito interessante ganhou os sites especializados em fotografia. A Canon admitiu que o seu serviço de hospedagem na nuvem, o Image.Canon, sofreu uma pane e perdeu várias fotos e vídeos de seus clientes. O Image.Canon apareceu como uma opção de backup para os clientes da marca. Era só você conectar a sua câmera com wifi diretamente ao serviço que um backup automático de fotos e vídeos (na resolução e qualidade originais) seriam transferidos para os servidores da empresa, prometendo assim uma segurança extra para seus dados. Inclusive, as novas câmeras mirrorless da empresa já vinham com a opção de backup automático ativados.


A ideia é muito legal. Se você está fotografando em um local que possuí uma rede de wifi ativa, como em seu estúdio por exemplo, esse backup já acontecia em tempo real. Em caso de sessões externas, assim que a câmera fosse conectada a uma rede wifi o backup começaria. Mais uma ferramenta de segurança, mas como nós sempre ensinamos, nunca coloque todos os ovos em uma mesma cesta. Cópias de segurança de suas fotos são importantes e, para começar a se sentir seguro, o mais importante é ter três cópias de tudo. Quem confiou apenas na Canon para dar segurança ao seu trabalho, ou suas lembranças, acabou tendo uma péssima notícia no começo de agosto. 


No dia 04 de agosto a Canon suspendeu o uso do serviço e emitiu um comunicado dizendo que estaria fazendo ajustes no sistema de armazenagem e que, infelizmente, imagens armazenadas no sistema de longa duração de 10GB antes de 16 de junho haviam sido perdidos. No dia 18 de agosto a empresa anunciou que conseguiu recuperar as pré-visualizações dos arquivos RAW, um JPEG de 2048 pixels na aresta maior, e que vídeos e arquivos RAW provavelmente estavam perdidos para sempre. Não foi revelado a quantidade de fotos perdidas e nem o número de clientes afetados, mas muitos acreditam que isso pode manchar o nome da empresa no que diz respeito ao armazenamento e segurança dos dados.


Mas, o que sempre digo para meus alunos e amigos é que o armazenamento em nuvem é só colocar as suas imagens no computador de outra pessoa. Não há 100% de segurança em nenhum sistema. Já tivemos histórias de servidores que foram destruídos por tempestades e até uma empresa que teve sua sala destruída por um caminhão desgovernado. Então, mesmo que você tenha um sistema de armazenamento em nuvem, isso não elimina a necessidade de outras formas de backup. Eu nunca me rendi ao sistema de nuvem por conta do grande fluxo de trabalho que temos e de antes ter uma conexão de internet muito ruim. Então ainda trabalho com HDs externos.


Tudo aqui no estúdio tem pelo menos 3 cópias enquanto o trabalho não foi finalizado. Uma cópia fica no que chamamos de HD de trabalho. É onde todas as fotos que ainda estão em processo de edição, catalogação, escolha e montagem de álbuns se encontra. Todas as imagens, em RAW, também possuem cópia em outros 2 HDs. Depois que as imagens são finalizadas e entregues para os clientes, elas são apagadas dos 3 HDs principais e vão para outros dois HDs de backup pelo tempo de 5 anos. Depois de 5 anos eu entro em contato com o cliente e pergunto se a cópia dele ainda está perfeita e aviso que vou eliminar a minha cópia. Mas, claro que não faço isso. Eu simplesmente copio esse arquivo para um disco de BluRay e ele fica guardado até derreter. O mesmo processo não funciona com as fotos artísticas e de ensaios fotográficos. Elas ficam guardadas em formato DNG em outros 3 HDs. Uma particularidade é que minhas unidades de disco possuem nomes de espaço naves de filmes e séries de ficção. Os 3 HDs principais se chamam Nostromo, Voyager e StarBlade, respectivamente. Uma coisa nerd de minha cabeça. 


Então crianças, é importante ter cópias. Ano passado fiz um podcast com os principais motivos que levam um fotógrafo profissional a ser processado. E a maior parte desses motivos é quanto a falta de cuidado e perda de dados de clientes. Clique no link abaixo para ouvir. Seja esperto e tenha muitas cópias. 


Listen to "O que leva um fotógrafo a ser processado?" on Spreaker.